Você sabe ler Rótulos?!

por / sexta-feira, 28 agosto 2015 / Postado emSaúde é tudo
Rótulos

No nosso dia a dia lidamos com uma grande quantidade de produtos industrializados. É válido dizer que quanto mais produtos industrializados existirem no seu carrinho de supermercado, mais a sua alimentação precisa ser revista! O novo Guia Alimentar para a População brasileira, preconizado pelo SUS, orienta a população a excluir ou diminuir drasticamente de sua dieta alimentos ultraprocessados, que são aqueles que são formulados pela indústria e possuem uma longa lista de ingredientes incluindo açúcar, óleo, sal e ainda, gorduras modificadas, amido, proteína de soja, corantes, conservantes e outros aditivos. Essas informações costumam vir descritas no rótulo dos alimentos, aliás, é lei, ou seja, obrigatória a descrição dessas informações. As empresas que não mantém seu rótulo de acordo com a legislação podem ser punidas pelo órgão regulador – A ANVISA.

Entretanto, a industria alimentícia é esperta e está empenhada em lhe vender o alimento. Para isso, utilizam estratégias que passam despercebidas ao consumidor que comumente é leigo e desconhece algumas informações que devem conter no rótulo daquele alimento. O consumidor normalmente se guia pela parte mais chamativa, e é nisso que a indústria investe. As palavras: ‘’LIGHT’’, ‘’DIET’’ ‘’ZERO’’, ‘’INTEGRAL’’, ‘’rico em fibras’’, ‘’rico em ômega 3’’, ‘’rico em cálcio’’, são utilizadas com muito destaque, essas você já deve ter percebido, pois é mesmo a intenção de quem quer vender aquele produto. Porém, nem sempre ter presente essas palavras no rótulo fazem o alimento ser realmente bom para o consumo, ou esse benefício destacado pode ser mínimo ao ver a quantidade de outros ingredientes presentes naquele alimento.

Primeiramente, verifique a lista de ingredientes. Nela contém todos os ingredientes que foram utilizados naquela preparação, em ordem decrescente, ou seja, o ingrediente que possui maior quantidade naquele alimento para o ingrediente que possui menor quantidade presente no alimento. Ou seja, se o seu objetivo for comprar um pão INTEGRAL, o primeiro ingrediente na lista precisa ser FARINHA DE TRIGO INTEGRAL, e não farinha de trigo enriquecida com ferro e ácido fólico (que é a farinha de trigo comum, refinada), em outras palavras, você estará levando ‘’gato por lebre’’. Fuja daqueles produtos que contém muitos nomes complicados de substâncias químicas (normalmente estabilizantes, conservantes, aromatizantes, corantes), grande parte dessas substâncias nem são liberadas para uso em alguns países e são utilizadas para deixar o produto mais chamativo para o consumidor, com isso você estará acumulando essas substâncias quem nem sabemos mencionar os nomes em seu organismo, o que, em longo prazo, pode acarretar sérios problemas. Fuja também de alimentos que contenham grande quantidade de gordura trans, gordura vegetal hidrogenada, sódio, sacarose, maltodextrina, xarope de glicose de milho. Produtos que contenham 400 mg de sódio para 100 g do alimento, com mais de 1g de gordura trans ou gorduras totais que ultrapassem os 15% do valor diário (informação presente na tabela de informação nutricional), devem ser evitados por aumentarem a predisposição para doenças crônicas, principalmente para as doenças cardiovasculares.

A receita é simples, você precisará apenas de paciência e tempo para comparar os produtos. Escolha aquele que te traz benefícios e tenha uma quantidade menor de ingredientes prejudiciais à saúde. Lembre-se que produtos light e diet também podem engordar! Não se iluda achando que esse é um produto saudável só por ser light, pois eles precisam ter apenas uma quantidade menor de algum nutriente calórico (açúcar, óleo, sódio) para serem considerados light, portanto, pode ser light por ter menos gordura, mas continua tendo a mesma quantidade de açúcar. Ah, os produtos light são aqueles que são reduzidos em algum nutriente em até 25% e os diet são aqueles que são ISENTOS em um desses nutrientes, normalmente voltados para hipertensos, diabéticos que tem dietas controladas, e esporadicamente, podem consumir esses alimentos sob orientação.

O ideal é consumir este tipo de alimento (ultraprocessado) esporadicamente, mas, com a vida corrida que temos levado, por vezes, temos que recorrer a eles. Dessa forma, é possível escolher aquele que realmente trará algum benefício ou pelo menos não trará tantos prejuízos ao nosso organismo.

Marina Bueno
Nutricionista (CRN 916081) formada na Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP, apaixonada por alimentação e vida saudável desde criança e em busca de um esporte para chamar de meu. Inquieta, curiosa, intensa… Não sou perfeita e também não sei tudo, mas espero que possamos sempre trocar muitas experiências!

TOPO
%d blogueiros gostam disto: