Visita ao Ortopedista

por / quarta-feira, 29 janeiro 2014 / Postado emVida de Corredor
Joelho Frágil

Tive o mesmo ortopedista praticamente durante toda a vida… Sei lá o motivo, mas foram poucas as vezes em que pensei em trocar. Na verdade, sei sim! Era preguiça de explicar todo o meu histórico de lesões, de tentar explicar o meu problema! Só fui em outros ortopedistas quando dei entrada em hospitais na emergência e 2 vezes em que tentei trair meu ortopedista! Uma vez, me consultei com o médico que operaria o joelho do meu pai (na mesma clínica do meu ortopedista) e uma outra vez em que ele estava de férias e eu havia sofrido uma grave lesão. Mas por que eu estou falando tudo isso?! Para contar que depois de quase 24 anos com o mesmo ortopedista, mudei!!!

 Joelho Frágil

Eu estava muito resistente em trocar de ortopedista, mas o fato do meu médico de toda a vida não conseguir me ver sem tocar no assunto cirurgia (e eu não quero ousar pensar numa cirurgia) estava me incomodando demais, junto a isso, ele parou de atender pelos 2 convênios que eu tenho e vivia me falando que deveria parar de correr. Por que eu não troquei antes?! Medo, preguiça, costume… O fato é que fui atrás de uma indicação totalmente no escuro e deu certo demais!!!

Estava eu, no trabalho, conversando com uma funcionária no corredor e falávamos de médicos. Comentei que precisava de um bom ortopedista e que não tinha nenhuma boa indicação que atendesse pelo meu convênio. Uma cliente que passava, pediu licença e me perguntou quais hospitais o meu convênio cobria. Assim que falei, ela disse assim: tem um ótimo que operou o meu filho e atende nesse hospital. O nome dele é Rubens, mas não lembro o sobrenome. Deixei a conversa pra lá e me esqueci disso. Até que, meses depois, resolvo que era hora de procurar um ortopedista para fazer uma avaliação antes de começar os treinos para a maratona. Estava zapeando pelo livrinho do convênio quando vi um Dr. Rubens. Liguei e perguntei se era ele que atendia no tal hospital. E não é que era ele?! Marquei logo uma consulta e resolvi tentar a sorte!

Minha consulta foi na segunda feira passada. No início é uma chatice! Contar o meu problema de forma simples, falar das lesões (desde os 7 anos de idade!), dos esportes que tive que abandonar, dos meus treinos, das minhas metas, da minha vida! Ele ouviu tudo com atenção e nada de pegar nos meus exames (ressonância e tomografia) e isso já estava me deixando aflita! Fez uns testes, me pediu para fazer uns exercícios, pegou nos meus joelhos, apertou, perguntou. Que coisa chata! Me pediu para sentar e enfim pegou nos exames. Me deu uma aula que eu nunca havia recebido de nenhum ortopedista! Explicou o meu problema de uma forma fácil, perguntou sobre corrida, treinos, minha vida. Falou que cirurgia ainda não é o meu caso (levo uma vida normal e a minha deficiência não me atrapalha em nada), deu dicas de treinos, falou sobre exercícios complementares, dicas de nutrição e saúde no geral. O meu ortopedista é corredor!!! Quanta vantagem eu vi agora!!!

Eu não tenho nenhuma lesão em ligamentos, meniscos ou mesmo desgaste! Ufa! Tenho uma deficiência na rótula e um pequeno fragmento do fêmur calcificado numa extremidade da rótula. Quando tinha uns 12 ou 13 anos, tive uma luxação no joelho esquerdo com fratura do fêmur. Esse pedacinho do fêmur se fixou na minha rótula, mas é minúsculo e não me faz mal algum. O encaixe das minhas rótulas são rasos, o que dá a elas essa incrível capacidade de saírem do lugar e me colocar de molho de tempos em tempos! Mas como a frequência desses episódios é a cada vez menor, não é preocupante! O importante é manter a musculatura das pernas fortalecidas e tomar cuidado com terremos instáveis e movimentos de rotação com angulações específicas (que só Deus sabe quais seriam esses ângulos)!

Apesar de ter amado o Dr. Rubens, o jeito como ele me tratou, algumas coisas me chatearam durante a consulta. Primeiro, ele me chamou de gorda!!! Tá, não foi assim… Mas ele me disse que eu não tenho físico de corredora e que preciso reduzir drasticamente o meu percentual de gordura para poupar os joelhos durante a corrida! Como o meu peso é o mesmo há tempos – por mais que eu cuide da alimentação e dos exercícios ele não muda – terei que fazer mais modificações no cardápio e nos treinos para ter os resultados esperados (Nutri, me aguarde!). Ele também me falou que talvez eu não dê conta de uma maratona! Ui! Doeu na minha alma! Ele me explicou que, devido ao meu histórico de lesões sempre que me preparei para provas acima de 10 milhas, talvez o meu corpo não dê conta de ultrapassar essa distância, que eu preciso observar o meu corpo, ouvir os sinais e optar pelo desafio ou pela saúde. Em terceiro lugar, ele disse que eu não posso viver sem um treinador que entenda o meu problema e que me treine de verdade! Bom, eu preciso de alguém que vá observar a minha postura, que cuidará muito bem da carga de treinos (inclusive dos complementares) e que vai corrigir todos os meus vícios na corrida. Também pediu que eu procurasse um bom osteopata (já conheço um!) e que cuide muito da minha postura.

Antes e Depois.tif

Para quem já conseguiu essa evolução, nada é impossível! Ninguém falou que vai ser fácil, mas vou secar essas banhas e ganhar um corpitcho de corredora!!!

Onde eu encontro esse treinador perfeito? Como eu pago esse treinador perfeito? Emagrecer 2kg já está difícil, imaginem vários deles? Eu, que comecei a correr sonhando com uma ultramaratona, proibida de correr mais do que 16km?! Bom, vamos por partes! Vou marcar a consulta com o nutricionista (já adiantei por e-mail que vamos mudar de vida), estou em busca do treinador perfeito e que trabalhe em Belo Horizonte (o cara tem que ser perfeito e ainda conseguir conciliar horários e eu poder pagar) e não vou desistir da Maratona por enquanto! Tenho uma Meia Maratona no final de Março e, caso eu sobreviva sem lesões, o Projeto Maratona do Rio continua de pé!

 Maratona do Rio

É… Não está fácil para ninguém! Mesmo encontrando o ortopedista perfeito, ainda há muito a fazer, sacrifícios a encarar e muitas decisões a tomar! “Se fosse fácil, não se chamaria VIDA”! Vamos que vamos!!! Treinar, secar, treinar!!!

Ah, se alguém conhecer esse treinador perfeito que eu tanto preciso, aceito indicações!!!

Aline Oliveira
Apaixonada pela vida, por esportes, pessoas e suas histórias. Curiosa sobre o mundo e eterna aprendiz. Depois de anos proibida de praticar os esportes que amava devido a um probleminha nos joelhos, resolvi me arriscar. Não aceitei largar a corrida e hoje sou uma corredora muito feliz!!!

TOPO
%d blogueiros gostam disto: