Eu não havia dormido bem. Dormi tarde, estranhei a cama, estava ansiosa. O despertador tocou às 5h da manhã e eu não queria levantar. Levantei e fui direto para o banho. Estava sentindo frio e pensei em mudar o look da prova para uma calça, mas depois do banho quente, animei a correr de saia.

Confesso que não pretendia passar muito tempo na Expo da Mizuno Half Marathon. Havia me planejado para visitar uma exposição de arte, passar um dia agradável com as amigas paulistanas. Minha pretensão era buscar o meu kit e só. Até que recebi a programação das palestras no meu e-mail. Quando recebi a programação, me arrependi

Que eu amo as provas da Mizuno não é nenhuma novidade. Que estou frustrada porque não teremos nenhuma delas em BH esse ano também não deve ser novidade. Mas que eu vou correr UMA prova da Mizuno em 2015 é novidade até pra mim! Desde que recebi o primeiro e-mail falando sobre a Mizuno Half

Este post poderia se chamar também:  “A primeira desistência a gente nunca esquece”, “O dia em que uma câimbra me derrubou”,  “O dia em que chorei muito na ambulância” ou mesmo “O dia em que quebrei numa corrida”. Pois é, galera! Quebrei!!! E nem foi pelo despreparo! Tive muita câimbra, vomitei duas vezes e tive que

TOPO
%d blogueiros gostam disto: