Sobre Maratona do Rio…

por / terça-feira, 29 julho 2014 / Postado emVida de Corredor
MaratonadoRio

No dia 27 de Janeiro de 2014, fiz a inscrição para a Maratona do Rio. Isso. Eu pretendia correr os 42,195km. Eu me sentia pronta para encarar uma rotina dura de treinamentos, para me dedicar à corrida ao máximo, para mudar toda a rotina de alimentação, treinos e afins. Estava confiante. Acreditava firmemente no meu sonho! Voltei a nadar, pedalar e respeitar os horários de treinos e descansos! Estava morrendo de medo, mas muito feliz por sentir que realizaria um grande sonho.

Era o que eu pensava...

Era o que eu pensava…

No dia 02 de Março de 2014, domingo de Carnaval, me mudei para Itabirito. Vim morar em uma chácara, ter uma vida mais tranquila, mais saudável, mais próxima da família. A partir daí, comecei a viver na estrada. Sair de casa às 5:50h da manhã, chegar em Itabirito às 20h da noite, ir para a academia, comer, dormir e começar tudo de novo. Onde encaixar os treinos para Maratona? Nos 30 minutos de academia? No lugar do sono? Deixar de trabalhar e só treinar? Correr ficou inviável, não cabia na minha vida nos dias úteis. Correndo só aos finais de semana, não fazendo aeróbico durante a semana, não dava para fazer uma Maratona!

Resolvi correr a Meia Maratona. Entrei em contato com a organização e eles prometeram trocar a minha inscrição. Após isso, não me responderam mais nenhum e-mail, mensagem no Facebook ou qualquer coisa do tipo. Eu pensava seriamente em sair do meu emprego, trabalhar um pouco menos e treinar. Pensava que podia resolver tudo de uma maneira muito simples. Mas a vida não é Hollywood e eu preciso trabalhar… e muito!!! Não dava para treinar nem para a Meia.

Sonhava com os percursos todos os dias!

Sonhava com os percursos todos os dias!

No dia 10 de Junho, saí de férias. Corri no parque, na esteira, na rua. Não estava aguentado nada! Estava com péssimo condicionamento, fiz a pior prova de 5km da minha vida, fiquei muito triste com a corrida. Entendi que ninguém fica sem treinar e vai para uma prova impunemente. Não depois dos 30! Antes, eu até arriscava correr algumas provas sem treinar com regularidade, mas agora, não dava mais. O corpo não respondia, a mente não ajudava. Simplesmente não dava!

Adeus Rio de Janeiro, adeus Maratona, adeus Meia Maratona, adeus Corrida! Minha mãe me aconselhou a nem ir ao Rio. Confesso que pensei nisso mesmo, mas não podia deixar de visitar uma das cidades que mais amo nesse mundo, não podia deixar de reencontrar amigos queridos, não queria deixar de sentir a atmosfera gostosa de uma das provas mais lindas do Brasil. Eu iria ao Rio, mas só distribuiria abraços!

Na quinta feira, 2 dias antes da corrida, resolvi que encontraria com uma amiga em Ipanema e correria com ela os quilômetros finais. Era o que eu poderia fazer, era o meu consolo por não poder fazer a prova dos sonhos, era uma chance de dar uma força para alguém, assim como me deram uma vez e eu nunca vou esquecer. Tudo resolvido! Iria ao Rio, correria cerca de 8,5km e reencontraria alguns amigos!

Mas não era bem isso que a vida reservava para mim…

Aline Oliveira
Apaixonada pela vida, por esportes, pessoas e suas histórias. Curiosa sobre o mundo e eterna aprendiz. Depois de anos proibida de praticar os esportes que amava devido a um probleminha nos joelhos, resolvi me arriscar. Não aceitei largar a corrida e hoje sou uma corredora muito feliz!!!

TOPO
%d blogueiros gostam disto: