Correndo contra as dores…

por / quinta-feira, 26 setembro 2013 / Postado emGente que corre
Inês na Trilha

Inês

Você consegue imaginar o que é correr sentindo fortes dores o tempo todo?! Sentir uma dor crônica e não ter nada o que fazer?! Às vezes, vemos muitos corredores por aí, os admiramos e sequer imaginamos o que eles enfrentam para estar ali, correndo! Existem muitas pessoas que estão ali focadas, dedicadas, dando o seu melhor, enfrentando tudo e todos e nós sequer imaginamos. São histórias lindas, algumas, tristes e muitas nunca serão contadas…

Bom, a coluna é importantíssima para a sustentação do nosso corpo, certo?! Agora, imaginem uma coluna em que falta uma das vértebras! Não vai desempenhar bem o papel. Pois é! Uma grande amiga nasceu com a última vértebra fundida ao osso do cóccix. Segundo o médico dela, “teria que fazer uma cirurgia para colocar uma vértebra de silicone, pois as vértebras ficam sem cartilagem, causando um processo inflamatório crônico, o que significa sentir dor por 24h”. A cirurgia seria algo delicadíssimo e que poderia trazer muitas sequelas indesejáveis. Visto isso, nossa personagem optou por não fazê-la, tentar outros meios e conviver com a dor.

Apesar de ter nascido com esse problema, ele foi diagnosticado há cerca de 4 anos! Na época, ela parou com a corrida e se dedicou ao Pilates. “Para o médico correr seria uma agressão ao meu corpo. Abri mão da cirurgia e fiz 1 ano de pilates. Foi bom para as dores, mas o meu corpo exigia muito mais. Voltei a praticar exercícios aeróbicos na academia. Tentei voltar a correr, mas me senti sem inspiração. A minha luta diária é contra as dores que sinto e são muitas: esporão calcâneo, hérnia de disco, rigidez na musculatura do pescoço, dores no joelho, virilha e no tendão de Aquiles, todas causadas pelo desequilíbrio do meu corpo. Sou a própria dor.” Vocês conseguem imaginar o que é viver assim?! E ainda correr, correr muito?!

Inês na Trilha

Normalmente, quando entrevisto alguém antes de escrever uma história, pergunto o que leva a pessoa a correr. Quando abri meu e-mail e li: “Corro contra as dores”, tive certeza de que essa história seria melhor do que eu havia imaginado. A personagem de hoje, é uma corredora guerreira, que não se deixa abater, que sonha e corre atrás de todos os objetivos. É uma pessoa que eu admiro muito como mulher, como atleta, como amiga… Espero que vocês também se encantem com essa história de superação e garra!

2012-07-08 07.48.26

Inês começou a correr há cerca de 20 anos atrás, mas parou. Dedicou-se a outros esportes, ganhou alguns prêmios e há cerca de 5 anos  voltou a correr (na mesma época que eu) e levou muito a sério.  No início treinou com uma assessoria esportiva, quando se viu estagnada, sem evoluir muito, passou a correr sozinha e hoje tem um treinador virtual. No final de 2011, resolveu que queria correr distâncias maiores, que era hora de treinar mais a sério e encarar uma Meia Maratona. Ainda no final daquele ano, correu a Volta Internacional da Pampulha  – tradicional prova de Belo Horizonte  que percorre a orla da Lagoa da Pampulha – uma  prova de 17,8km. Foi um desafio e tanto para quem sempre corria 10km e só havia feito uma prova de 10 Milhas até então.

Em janeiro de 2012, começou a preparação para a primeira Meia Maratona. A prova seria em Abril. Era um tempo curto para a preparação, mas não impossível. No dia 01 de Abril de 2012, com muito nervosismo, foram completados os 21km! Lembram da minha primeira Meia Maratona?! A Inês foi minha companheira nesse desafio, junto com a minha mãe! Durante a preparação para os 21km, resolvemos fazer um checkup e eis que o médico solta a seguinte frase: “Correr é uma agressão para o seu corpo, você não tem mais idade para esse tipo de esforço. Por que não faz outro esporte?” Os médicos são sempre insensíveis assim ou somos nós que nunca demos sorte?! Que balde de água fria… Mas sonho é sonho e parar não estava nos planos! Ainda naquele ano veio mais uma Meia Maratona, a de Amsterdam!!! Ela fez um ótimo tempo, muitas amizades e voltou com a certeza de que é disso que ela gosta!

Inês no Pódio

 

Já se foram 4 Meias Maratonas, teve pódio no Circuito de Corrida de Rua de Itabirito – ela foi campeã do circuito na categoria 50 a 54 anos – tiveram desafios tremendos. Será que vem uma Maratona por aí? Por ela, ficar nos 21km seria perfeito, mas ela treina com a Maria Imaculada e a próxima meta dessa dupla é uma Maratona sim!!! A verdade é que as duas treinam juntas, escolhem as provas juntas, viajam juntas… Nós as chamamos de PAR!!! E o par começa a se preparar para enfrentar a primeira Maratona no próximo ano!!! Sucesso, garotas!!! Que venham muitas corridas, desafios e vontade de se superar!!! Continuem arrasando por aí!!!

O PAR

Aline Oliveira
Apaixonada pela vida, por esportes, pessoas e suas histórias. Curiosa sobre o mundo e eterna aprendiz. Depois de anos proibida de praticar os esportes que amava devido a um probleminha nos joelhos, resolvi me arriscar. Não aceitei largar a corrida e hoje sou uma corredora muito feliz!!!

TOPO
%d blogueiros gostam disto: